um conselho sobre nomadismo digital

Viajar e trabalhar é uma delícia, sim! Você pode estar em qualquer lugar do mundo, aprendendo e descobrindo coisas, respirando novos ares….
MAS, nem tudo são flores.

Como ja falei algumas vezes, é muito diferente viajar a passeio e a trabalho. Muitas vezes falta tempo para provar aquele prato típico ou ir àquela atração que todo mundo recomenda. Afinal, dependendo do job, você tem ou NÃO tempo livre para curtir.

Isso aconteceu comigo nos últimos 12 dias – inclusive, por isso, estive ausente de TUDO!

Vou resumir: em 2011, eu morei em Buenos Aires, no que chamei de “melhor ano da minha vida”. No auge dos meus 23 anos, fui estudar cinema, morar em outro país, aprender outro idioma e quaaaantas mil descobertas que esse ano me proporcionou!

Depois desses 7 anos, resolvi colocar Buenos Aires na lista de destinos da viagem, já que estava ali por perto. Tiraria 10 dias para rever meus amigos, visitar minhas casas, a escola, os bares, os sabores e tudo aquilo que tenho a maior gratidão e amor.

Pois bem. Nesse meio tempo, peguei mais um trabalho, daqueles projetos que estou acostumada a desenvolver e entregar sem muitas dores de cabeça. Acontece que, como todo job, existem muitas nuances e, as vezes, não conseguimos otimizar a entrega.

Sendo assim, passei esses 10 dias, contando finais de semana e madrugadas adentro, cuidando desse trabalho para entregá-lo da melhor maneira possível. Fiz, refiz, refiz de novo.

Acabei passando 10h por dia na frente do computador, sentada na mesa de casa/ou na do café da rua de trás. Quase não encontrei meus amigos, como queria, quase não caminhei pelas ruas portenhas, como tinha planejado.

E isso é ruim? Não, nem um pouco. Afinal, é o trabalho que me mantém na estrada. Mas, confesso que certo dia me vi triste, chateada e, com a calma e paciência do meu namorado, escutei o que a consciência não conseguiu me dizer (e que talvez seja o meu melhor conselho hoje pra você aí);

Nem sempre vamos conseguir curtir, porque essa nova vida é a troca trabalho pela próxima passagem. Não pense em tudo que está deixando de fazer, mas em tudo que está aprendendo e vivendo com isso. E, principalmente, precisamos entender que a viagem em si é parte do trabalho.

Isso me fez dar mais valor a essa experiência – e agradecer a cada parceiro, a cada cliente que me procura, às pessoas que confiam no meu trabalho e que me ajudam a seguir em frente.

E é isso, vou tentar atualizar o blog e o Youtube com alguns highlights da cidade e de como é viver como nômade digital por lá.

E se você aí tiver precisando de uma parceira para jobs, trabalhos criativos, apresentações e conteúdo, me dá um toque 😉

See ya

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s