uma viagem na viagem

Olha, me julguem, mas eu não amei Santiago. Nada pessoal, nada que tenha acontecido, mas não fui pega pela vibe – que na verdade, não tem vibe hehehe.
Por isso, fui atrás de alguma energia power – pra, quem sabe, mudar minha opinião sobre esses dias por aqui.


E JÁ DIZIA O DITADO: QUEM PROCURA, ACHA! E eu achei.

Encontrei uma empresa de turismo independente chamada INDO PRO CHILE.

Vi que eles tinham diversos passeios (clichês e não chiclês) e escolhi um pra fazer: ANTARDECER EN ENBALSE EL YESO, en Cajón del Maipo – que se vendeu como uma viagem para poucos pessoas pra assistir a um pôr-do-sol no meio da Cordilheira, no silêncio da natureza PLUS com um pic nic chileno.


FUNCIONA ASSIM:
Você faz a reserva no site ou na loja física e eles te buscam – no horário indicado – onde você estiver hospedado. E foi assim que a viagem começou.
Quem veio nos buscar foi o Francisco, um senhor muito fofo, num 4×4. Nos juntamos a mais um carro, do Jaime, e fomos em 8 pessoas  >>> TODOS BRASILEIROS. Uma família linda do Rio Gde do Sul.

De lá,  seguimos por 1h30 até um bairro de Cajón del Maipo. Ali fazem uma parada técnica – pra vender empanadas nos estabelecimentos locais (justo, afinal, eles vivem de turísimo).

Vejam vocês, o centrinho é bem pequeno, com a escola, a tradicional igreja da praça, pessoas sentadas tomando um sorvetinho… e descobrimos a Tia da Empanada – ela mesma, que faz tipo um pastel brazuca com os ingredientes que você escolher.
(custou $1.500/chilenos = R$ 8,50)

Saindo dali, começamos a nos dirigir para Embase el Yeso, passando por 3 povoados, montanhas e rios, estradinha de uma pista com penhasco e alguns view points.

O primeiro deles, e mais FODA, foi na Curva do Vento – nome autoexplicativo – que te dá um tapa na cara de lindeza, juntando uma represa com a Cordilheira. 

Vale ressaltar que venta demais, o ar é muito seco e chegamos à uma altitude de 2.500mts.

Enfã. Depois de algumas curvas em meio à montanhas e exuberâncias naturais (termos chiques para definir o que os olhos viram), a gente faz uma pausa e caminha cerca de 30 minutos no meio dessa natureza.
TIPO INTO THE WILD, que dá vontade de deitar na grama, esperar a noite cair e viver de amor.

E sim, faz frio. Se em Santiago a temperatura era de 35º, ali devia fazer sei lá…15º? 
Só sei que minha jaqueta não foi suficiente e peguei um casaco do guia. 

tassi adventures

E assim, o sol foi caindo… enquanto a gente esperava olhando o vale todo, os guias montaram nosso pic nic.
PEGA ESSE ROLÊ!

E foi assim, com garrafas de um delicioso vinho chileno – chamado Undurraga – queijos, geléias, conversa buena, gente incrível que o sol disse adeus. 

E foi assim que eu disse, com todas as minhas forças, OBRIGADA!

HASHTAG GRATIDÃO MODO ON


O passeio durou cerca de 9h – entre ir, parar, seguir, parar, assistir, comer e voltar.
Preço: $ 60mil/chilenos = R$ 340

Não é barato, mas é uma experiência, então, não fique com receio em investir.

Ah, se interessar, veja todos os passeios que eles oferecem clicando aqui.
E, se encontrarem o Francisco ou o Jaime, diga que mandei lembranças! ❤ 


2 comentários Adicione o seu

  1. Danielle disse:

    Ahhhh agora q li sobre o passeio RS….

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s